Inteligência e Testes de QI
     
Entrada
AS APTIDÕES NA DEFINIÇÃO E AVALIAÇÃO DA INTELIGÊNCIA: PDF Versão para impressão Enviar por E-mail

Um dos percursos seguidos pela Psicologia na definição e avaliação da inteligência identifica-se com as tentativas de fixação do número das aptidões e, no caso de defesa de um número plural de aptidões, com a questão da eventual independência ou interdependência das mesmas aptidões. A análise fatorial, primeiro exploratória e agora confirmatória, tem sido o método por excelência para fundamentar este percurso, mesmo sem nunca conseguir dar razão a uns e retirá-la a outros.

Continuar...
 
Pais de crianças sobredotadas : representações e dimensões parentais PDF Versão para impressão Enviar por E-mail

A temática da sobredotação tem vindo a ser alvo de um crescente interesse por parte da comunidade científica (Almeida, Pereira, Miranda & Oliveira, 2003). Contudo, acresce a necessidade de conhecer mais acerca das crianças sobredotadas e dos contextos em que se desenvolvem (Pereira, 2000). Com este trabalho pretendemos compreender de que forma o desenvolvimento destas crianças, os contextos em que este desenvolvimento ocorre, as dimensões parentais e o acompanhamento educacional de que são alvo estão relacionados entre si.

Continuar...
 
Viabilidade da estimativa de QI a partir dos subtestes Vocabulário e Cubos da WAIS-III PDF Versão para impressão Enviar por E-mail

Objetivou-se avaliar a viabilidade de estimar o Quociente de Inteligência (QI) de adultos por meio de duas estratégias que utilizam uma forma curta constituída pelos subtestes Vocabulário e Cubos da Escala Wechsler de Inteligência para Adultos (WAIS-III). Participaram do estudo 77 homens e mulheres, com idade média de 39,1 anos (dp=13,4). Foi aplicada a WAIS-III e questionários para cumprir os critérios de inclusão dos participantes sem prejuízos neurológicos e psiquiátricos.

Continuar...
 
Do you multitask? Research suggests it might do more harm than good PDF Versão para impressão Enviar por E-mail

Multitasking, so often considered a mark of mastery in the modern age, isn't quite what we think it is. "Multitasking," as it's used in common parlance, is somewhat of a misnomer: rather than performing multiple tasks simultaneously, the brain actually switches rapidly between tasks. And task-switching is an expensive habit that gobbles up extra processing power, rendering any attempt to "multitask" less efficient than simply concentrating on one task at a time.

Continuar...
 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 Seguinte > Final >>

Pág. 6 de 8
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária

Inquéritos

O que contribui mais para a inteligência?
 

Traduções...

  • Mensa
  • Contacto
  • Breves
  • Testes
  • Puzzles
  • Vídeos
  • Imagens
  • Áudio
  • Ressalvas
  • Livro de Visitas
  • Arquivo Histórico
  • Estamos no Facebook!